As casas tendem a viver mais que quem as faz. Como esta. No século XVIII, alguém quis afirmar de forma sólida que pertencia a Tomar e que lhe era devido um lugar central no ‘eixo do poder', na rua que ligava a Praça onde a Câmara Municipal encara a Igreja de São João Baptista à outra Praça onde pontifica o Pelourinho. As janelas voltam-se, na sua maioria, para o Convento de Cristo, como que guardando quem nos guarda.

Generosa na sua ligação à rua, é natural que tenha visto muito: desfiles, procissões, saídas da Sociedade Banda Marcial Republicana Nabantina, passeios de Domingo, trabalhos de todos os dias, amores, conluios, invejas, enganos, glórias, risos e muitas vidas. Pensada como casa de habitação, serviu também de escola: foi ali que primeiro se instalou a Escola Industrial Jácome Ratton. Ora mais aberta à rua ora de portas fechadas, tornou-se parte do respirar da cidade – e agora abre portas e janelas como braços, à espera de vos receber. A gente que agora lhe chama Casa quer isso mesmo, uma casa sua e dos outros (conquanto acertem contas) com tudo o que uma casa carrega: memória, calor, abrigo, refúgio, celebração, convivialidade, tranquilidade, conforto. E é uma casa de Tomar, pelo que era preciso que tudo ficasse na mesma quando houve mudança, tendo sido preservados todos os elementos arquitetónicos de relevo. O resto é fácil, como verá: são paredes que há mais de 200 anos praticam o ofício de receber.

Internet

Estacionamento

Ar condicionado

Receção 24h

Bar

TV cabo

Reserve o seu quarto

Nenhum quarto disponível para estas datas.

Não conseguimos encontrar quartos disponíveis de acordo com a sua pesquisa. Por favor tente novas datas de modo a obter uma alternativa.

Localização

Abrir no Google Maps

Morada

R. da Silva Magalhães, 71
2300-593 Tomar
PT
Ver mais detalhes no mapa

Opinião dos clientes

Selecionar datas e pessoas